dilbert

Marissa Meyer decidiu acabar com o trabalho remoto (home office) no Yahoo. Esta decisão gerou muita controvérsia, uns apoiando e outros criticando. Não dá para achar que existe uma uma regra única para isso. Cada empresa e cada tipo de trabalho tem suas particularidades. Marissa teve suas razões, mas gostaria de registrar algumas considerações sobre o assunto.

Já passou o tempo do programador herói, aquele gênio senta a bunda na cadeira e passa dias sem dormir, sem comer e quando levanta tem um sistema revolucionário pronto. No mundo real de hoje, todos os softwares minimamente complexos e relevantes para a humanidade são feitos por times. Colocando o trabalho remoto na equação, temos times distribuídos.

Times distribuídos demandam naturalmente o aumento no custo da coordenação. É um problema de custo-benefício. Se o custo de coordenação for inferior a economia gerada por deixar o pessoal trabalhando de casa, vale a pena. Agora vejamos, pessoas menos experientes demandam um grau de coordenação maior que pessoas mais experientes. Daí, chego a conclusão que quando você tem um time A+ a decisão de trabalhar de forma distribuída é fácil. Mas quem disse que é fácil manter uma empresa apenas com funcionários A+.

Mesmo quando uma empresa decide estrategicamente ter apenas funcionários A+, não dá para pegar todos eles do mercado (a não ser que seja uma empresa bem pequena). A solução neste caso é recorrer a pessoas mais jovens e menos experientes, mas com potencial de ser A+ e investir na evolução delas dentro de casa. A forma mais efetiva de conseguir isso é através do mentoring em equipes mescladas (pessoas mais experientes trabalhando junto com pessoas menos experientes). Neste cenário, não acredito que o trabalho remoto seja eficaz para troca de experiências e aumento rápido da maturidade das pessoas menos experientes. A forma mais eficaz de mentoring é osmose, que só conseguimos trabalhando fisicamente juntos. Pensando no logo prazo, o trabalho remoto não deve ser usado neste caso.

Dica: A 37signals, que já lançou o Getting Real e o Rework, dois livros sensacionais, está pra lançar Remote, livro que trata sobre o assunto de trabalho remoto. Não estou acostumado a recomendar livros que ainda não li, mas neste caso boto minha mão no fogo, vai ser bom demais.