microsoft surface Quando a Microsoft lançou a versão Consumer Preview do Windows 8, eu já havia analisado que eles haviam partido para o tudo ou nada no mercado mobile. Na semana passada eles deram uma ainda mais forte indicação que não estão para brincadeira, lançaram o Surface, um tablet da própria Microsoft para bater de frente com o iPad da Apple.

No mercado de PCs a Microsoft possui o monopólio de sistema operacional desde o lançamento do IBM PC. Naquela época, a empresa de Bill Gates conseguiu negociar com a IBM o licenciamento do DOS. Para cada PC vendido, alguns dólares pingavam em sua conta. Este modelo de negócios se mostrou muito bom para a Microsoft, especialmente quando apareceram vários outros fornecedores de hardware produzindo PCs e licenciando inicialmente o DOS e depois o Windows. Essa relação entre Microsoft e os fabricantes de PCs vem funcionando muito bem até hoje, mas com o lançamento do Surface, pela primeira vez a Microsoft vai se tornar concorrente de seus clientes.

De quebra, especula-se que o Windows 8 vai custar U$85 por tablet para outros fabricantes. Para um aparelho que custa em torno de U$500, U$85 é um parcela bastante significativa dos custos. Como o Surface está em casa, a Microsoft vai ter uma vantagem de lascar em relação aos outros fabricantes. Como esse pessoal vai reagir?

Até agora, o único parceiro que se pronunciou foi a Acer. Oliver Ahrens, VP da Europa, Oriente Médio e Asia disse que a estratégia da Microsoft não vai dar certo, e também que a MS é apenas um dos componente no ecossistema de PCs. Uma declaração nada simpática. Mesmo com a insatisfação, não existe muitas formas de pressionar a Microsoft. Não existe opção viável para substituir o Windows nos PCs e a única alternativa para o tablet é o Android.

A Google vem tentando fazer que o Android repita nos tablets o sucesso que tem nos smartphones, mas está perdendo a batalha. Para completar, anunciou há alguns meses que vai fazer lançar também o seu tablet. Com a Microsoft de um lado e a Google de outro, todos os outros fabricantes estão espremidos, com poucas chances de sucesso nesta área. O único fornecedor ainda com poder de fogo para brigar neste mercado é a Samsung.

No final das contas, o que percebo é que a Microsoft não acredita que o modelo de negócios do mercado de PCs vai funcionar no mercado mobile. O modelo da Apple é que vai prevalecer aqui. A Microsoft tem o dinheiro e a paciência necessária para investir nesse novo negócio até dar certo, mas aposta é muito alta, e a Microsoft não vai ter uma segunda chance. Vai tentar entrar no mercado mobile na marra, arriscando até seu mercado de PCs. Agora é TUDO ou NADA.