Vamos voltar ao mainframe?

mainframe ibm

Essa é a pergunta que é feita neste post que fala sobre o keynote de José Carlos Duarte Gonçalves, diretor de tecnologia da IBM Brasil, no BITS 2012. No keynote, o executivo diz que a evolução da informática e a utilização da nuvem nos levou de volta ao conceito de centralização utilizado a partir da década de 60 com o uso dos mainframes. Entendo que de um ponto de vista bem abstrato até parece que é isso mesmo, mas na verdade é exatamente ao contrário… Vivemos uma era de descentralização radical.

Quando comecei a pensar no assunto, lembrei do filme Tempo de Despertar. Neste filme, o personagem interpretado por Robin Williams é um médico que trata de pacientes catatônicos que não reagem aos tratamentos indicados. Lembro bem de uma cena na qual ele especula que os pacientes não estão realmente catatônicos, e sim em um estado tão avançado de Parkinson que parecem parados. Através de um tratamento próprio para pacientes com mal de Parkinson ele consegue “acordar” esses pacientes.

Na computação na nuvem acontece o mesmo. Nossas informações estão cada vez mais descentralizadas. Tudo está replicado em servidores diferentes, em data centers diferentes localizados em países e continentes diferentes. Está tudo tão descentralizado e espalhado, que em qualquer lugar do planeta a qualquer hora do dia ou da noite conseguimos ter acesso a tudo a partir dos nossos vários dispositivos. Essa incrível disponibilidade é que dá a impressão que um servidor central e universal responde por tudo. Mas não é assim. Na verdade, não seria nem possível ter esse grau de disponibilidade com uma estrutura centralizada.

Vamos voltar ao mainframe? Nem a PAU!