No primeiro post desta série, enunciei as 2 Leis de Borba para Arquitetura de Software, neste post vamos ver como essas leis se aplicam a modelos de negócios.

Primeira Lei de Borba para Modelos de Negócio:

“Todo Modelo de Negócio está Errado.”

Um modelo de negócio não vale nada enquanto está só no papel. Somente um negócio funcionando e gerando receita pode provar o valor do modelo. Não adianta passar meses elaborando o modelo mais maravilhoso do mundo, e apenas mostrar aos amigos. Enquanto não existir um negócio rodando e sendo usado por usuários (clientes) de verdade, você ainda estará na estaca zero.

Agora digamos que eu tenha lançado o meu produto, baseado em um modelo de negócios que foi desenvolvido utilizando as metodologias de Customer Development e Lean Startup e que conseguiu atingir o product/market fit e está gerando receita. Consegui finalmente provar que meu modelo de negócios funciona, porém neste caso se aplica a segunda lei…

Segunda Lei de Borba para Modelos de Negócio:

“Todo Modelo de Negócio definido e que comprovadamente funciona, estará errado em breve”

Tudo muda o tempo todo. Pessoas mudam, usuários mudam, clientes mudam. Lembre-se que depois de lançado seu produto não é mais seu, é de seus usuários. Se você não conseguir adaptar seu sistemas às mudanças do ambiente, será extinto. A seleção natural de Darwin funciona aqui também.

Exemplos não faltam. Vejam por exemplo o que aconteceu com o Myspace, que era líder das redes sociais, mas foi exterminada pelo Facebook porque não soube se reinventar e lidar com o novo concorrente. Nokia, RIM e Yahoo são exemplos de empresas dominantes em outros tempos e que hoje estão atoladas em prejuízos com dificuldades para reagir.

O problema é ainda mais grave hoje, porque a frequencia de aparecimento de inovações disruptivas está aumentado a cada dia. Olhem esse gráfico que mostra a média de tempo de vida das 500 principais empresas do mundo.

idade media das 500

As principais empresas do mundo estão cada vez mais jovens. As grandes empresas normalmente são mais pesadas para se mover, para se reinventar e estão sendo sucedidas por empresas novas, criativas e ágeis. Poucas grandes empresas conseguem se reinventar e permanecer relevantes, mas temos nobres exceções como a IBM e a Siemens.

A melhor forma de enfrentar esse tipo de situação é monitorar sempre o que está acontecendo, no seu empreendimento e no mercado.

Dicas:

  • Conheça seu cliente e seu mercado
  • Acompanhe de perto as mudanças e sempre procure inovar em seu segmento
  • Não tenha receio em canibalizar parte do seu negócio, as vezes é necessário
  • Mantenha sua empresa ágil

Esteja disposto e preparado a mudar sempre. Não seja um Dodô.